Tempo seco pede cuidado redobrado com a saúde

A baixa umidade relativa do ar aumenta o risco de gripe, resfriados, alergias e viroses. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o índice considerado ideal da umidade é de 60%, mas são frequentes números abaixo desse percentual.

Com a falta de chuva, ocorre um aumento dos gases tóxicos e do material particulado, devido as piores condições de dispersão. Os efeitos na saúde são imediatos. A sensação é de ressecamento do nariz e garganta, dificuldade para respirar, irritação nos olhos, entre outros sintomas. A baixa umidade afeta as vias aéreas e desencadeia problemas respiratórios como asma, bronquite e rinite.

As crianças e os idosos tendem a ser mais sensíveis aos problemas causados pelo tempo seco, mas os cuidados devem se estender a toda a família.

Veja, abaixo, algumas dicas para lidar melhor com o ar seco:

  • É importante manter a higiene doméstica. Evite o acúmulo de poeira, que desencadeia problemas alérgicos.
  • Beba bastante água (cerca de dois litros por dia), além de sucos naturais feitos de maneira adequada e água de coco.
  • Prefira alimentos frescos e produzidos o mais próximo possível do horário de consumo. Substitua frituras por alimentos assados, assim como sorvete de massa por picolé de frutas. Os queijos amarelos podem ser trocados por queijos brancos.
  • Durma em local arejado e umedecido. Isso contribui para uma noite de sono tranquila (os ambientes podem ser umidificados com toalhas molhadas, reservatórios com água e até umidificadores).
  • A pele também merece atenção especial neste período. Evite banhos com água muito quente que ressecam a pele e use, sempre que possível, um hidratante.

Em caso de irritação das vias aéreas e dos olhos, use soro fisiológico para lavar os olhos e as narinas

Cuidando de quem traz resultados, pessoas!