Blog

Ginástica Laboral beneficia trabalhadores e empresas

Ginástica Laboral beneficia trabalhadores e empresas

Permanecer horas sentado na frente do computador, digitando sem parar ou atendendo o telefone faz parte da rotina no trabalho de muitas pessoas. Apesar de parecer inofensiva, a repetição dessas atividades pode originar uma série de incômodos como dores nos dedos e nos membros superiores, além de fadiga muscular.

Como alternativa para diminuir e prevenir esses sintomas que acompanham profissionais das mais variadas áreas, são recomendados pelo menos 15 minutos de exercícios de alongamento e reforço muscular no local de trabalho. A modalidade de atividades físicas ganhou o nome de ginástica laboral e contribui para aumentar o bem-estar físico.

Benefícios

Muitas pessoas não fazem exercícios alegando principalmente a falta de tempo. Levam, assim, uma vida sedentária.

É o caso de quem trabalha no computador, ou trabalhadores que executam movimentos repetitivos durante dias inteiros.

Para eles, a introdução de práticas de exercícios físicos ao longo da atividade laboral traz uma série de benefícios, tais como:

  • Redução de fadica, do sedentarismo e do estresse;
  • Prevenção de doenças provocadas por repetição, tais como: Ler (Lesões por Esforços Repetitivos) e Dort (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho);
  • Melhoria da circulação do sangue;
  • Melhoria de aspectos relacionados aos tendões;
  • Correção da postura;
  • Melhoria de relacionamento entre colegas de trabalho;
  • Melhoria na concentração e no ritmo de trabalho; e
  • Aumento de produtividade.

Para as empresas, tudo isso tem como resultado, ainda, a redução de despesas decorrentes dos custos com licenças médicas.

Tipos

Há pelo menos dois tipos de ginástica laboral: a preparatória e a compensatória.

Ginástica preparatória: com uma duração entre 5 e 10 minutos, é feita nas primeiras horas do dia de trabalho ou antes de começar. Consiste em aquecimento e/ou alongamento.

Ginástica compensatória: é feita durante o dia de trabalho. Consiste em exercícios de descontração e relaxamento muscular.

Há também o relaxamento, o qual pode garantir o alívio das tensões ao fim da jornada de trabalho.

História

A ginástica laboral surge da necessidade de prevenir Ler e Dort, doenças que afetam os músculos.

A sua prática data de 1925 na Polônia. Depois, foi a vez da Holanda e da Rússia. Mais tarde, Alemanha, Bélgica, Japão e Suécia aderiram a esta prática. Em 1968, os Estados Unidos começaram a direcionar sua atenção para esta modalidade de atividade física.

No Brasil, a prática data de 1901. A primeira empresa a proporcionar ginástica aos seus funcionários foi a Fábrica de Tecidos Bangu, seguida pelo Banco do Brasil.

O primeiro curso superior nessa área teve início em 1999, na Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

 

Deixe uma resposta


Chat Online

NOSSOS CLIENTES

.. veja mais ..


Ação Corporate

CASES DE SUCESSO

Melhoramentos

A ginástica laboral foi uma necessidade levantada por nosso médico do trabalho, pois os índices de afastamento por LER/DORT estavam crescendo muito. Pesquisamos inúmeras empresas, e pudemos enxergar na Ação Corporate uma empresa parceira, que além de implantar o programa, adequa os seus profissionais à realidade da empresa e a sua cultura. leia mais

Agfa

Após a implantação da Ginástica Laboral em nossa empresa, houve diminuição significativa nas reclamações sobre dores, sobre a falta de disposição e sobre a ansiedade dos colaboradores. Assim, entendo que a Ginástica Laboral, contribuiu de forma positiva e contínua, na melhoria do ambiente de trabalho da nossa empresa. leia mais


DEPOIMENTOS

Alston
Após a implantação da Ginástica Laboral em nossa empresa, houve diminuição significativa nas reclamações sobre dores, sobre a falta de disposição e sobre a ansiedade dos colaboradores.
Meloramentos
A implementação da ginástica laboral em nossa empresa, significou, quebrar paradigmas, mitos e tabus.
Meloramentos
Após a implantação da Ginástica Laboral em nossa empresa, houve diminuição significativa nas reclamações sobre dores, sobre a falta de disposição e sobre a ansiedade dos colaboradores.