Como se prevenir contra a nova gripe

Saiba quais são as diferença entre gripe comum e H1N1

O aumento dos casos de gripe suína, um tipo de influenza causada pelo vírus H1N1, tem chamado a atenção das autoridades de saúde em todo o Brasil. Segundo o Ministério da Saúde, até março deste ano, houve 188 registros e 30 mortes relacionadas à doença no País.

O principal surto ocorre no Estado de São Paulo. Até o momento, a Secretaria Estadual de Saúde confirmou o registro de 157 casos relacionados ao H1N1 e 23 óbitos (sendo que só na capital foram registrados 66 casos e oito mortes).

É muito importante adotar alguns cuidados para evitar o contágio pelo H1N1, como evitar locais fechados e com grande concentração de pessoas, não levar as mãos ao rosto ou boca e lavá-las com frequência. Além disso, é necessário saber distinguir os sintomas da gripe comum e o da H1N1.

A influenza é comumente conhecida como gripe. Trata-se de uma doença viral, febril, geralmente benigna e autolimitada. É caracterizada por início abrupto dos sintomas, que são predominantemente sistêmicos, incluindo febre, calafrios, tremores e dor de cabeça, assim como sintomas respiratórios com tosse seca, dor de garganta e coriza. A infecção geralmente dura uma semana.

Existem três tipos de vírus influenza: A, B e o C. O vírus influenza C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionado com epidemias. Já o vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais. O vírus influenza A é responsável pelas grandes pandemias, como o H1N1 e H3N2 que circulam atualmente por aí. Alguns vírus influenza A, de origem aviária, também podem infectar humanos causando doença grave, como o caso do A (H7N9).

Sintomas do H1N1

Os sintomas do H1N1 são similares aos da influenza humana comum, ou seja, a gripe comum. Eles incluem febre, tosse, garganta inflamada, dores no corpo, dor de cabeça, calafrios e fadiga. Algumas pessoas apresentam vômitos e diarreia associados à enfermidade.

Já foram registradas formas graves da doença com pneumonia e falência respiratória, além de mortes. A gripe suína pode causar também uma piora de doenças crônicas já existentes.

Transmissão

O vírus da influenza se dissemina de pessoa para pessoa, especialmente através de tosse ou espirros dos indivíduos infectados. Também pode se infectar tocando em objetos que estão contaminados com o vírus da influenza e, posteriormente, levando as mãos aos olhos ou boca.

Prevenção

Para redução de risco de pegar ou transmitir doenças respiratórias, a população deve adotar as seguintes medidas de prevenção:

  • Frequente lavagem e higienização das mãos;
  • Utilizar lenços descartáveis para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca quando respirar ou tossir;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Higienizar as mãos após tossir e espirrar;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, copos, pratos ou garrafas;
  • Manter ambientes bem ventilados; e
  • Evitar contato próximo com pessoas que apresentem os sintomas da doença.

Cuidando de quem traz resultados, pessoas!