10 de julho: Dia Mundial da Saúde Ocular

saude-ocular

No próximo 10 de julho comemora-se o Dia Mundial da Saúde Ocular. Nessa data, diversos locais e centros oftalmológicos oferecem ações para chamar a atenção sobre a importância dos cuidados com os olhos. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), aproximadamente 285 milhões de pessoas no mundo vivem com baixa visão ou cegueira. No Brasil, o número de cegos chega a 1,2 milhões, dos quais cerca de 60% a 80% são casos evitáveis e/ou tratáveis. Isso significa que 700 mil brasileiros estariam enxergando se tivessem recebido tratamento apropriado a tempo.

O glaucoma é a segunda causa de cegueira no mundo, perdendo apenas para a catarata, conforme dados de um estudo recente desenvolvido pela Evidências – Kantar Health.  A doença, cujo maior fator de risco é o aumento da pressão intraocular, acomete o nervo ótico. Cerca de 2% da população sofrem com glaucoma, podendo chegar a 7% em pessoas com mais de 70 anos, segundo o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO).

Apesar de ser crônica, ou seja, não ter cura, o glaucoma pode ser tratado com diversos medicamentos como os colírios. Para o Conselho, o mais importante é o diagnóstico precoce feito através de consultas periódicas ao oftalmologista, já que 80% dos casos da doença não apresentam sintomas no início. Por ser uma doença silenciosa, o glaucoma é extremamente perigoso. Consultar-se com um oftalmologista e saber qual é a sua pressão ocular são atitudes fundamentais para todos, não apenas para aqueles com um histórico de glaucoma.

Estudo

A Evidências – Kantar Health juntamente com a Pfizer, desenvolveram um estudo abordando o glaucoma no Brasil e a considerável perda de produtividade e qualidade de vida nos pacientes portadores da doença. O estudo, apresentado no Congresso da Internacional Society For Pharmacoecomonics and Outcomes Research (ISPOR), no ano passado, em Milão (Itália), comparou dados de 242 pacientes com glaucoma com outros da população em geral.

Os resultados destacaram a pior qualidade de vida dos portadores da doença, tanto no aspecto físico como mental, além de uma taxa de 36% de perda da produtividade no trabalho e 33% de limitações para a realização das atividades diárias. Pacientes com glaucoma também utilizaram mais os sistemas de saúde, com mais visitas aos prontos-socorros, maior taxa de consultas médicas ambulatoriais e hospitalizações, quando comparados à população geral.

Fonte: Evidências – Kantar Health

Cuidando de quem traz resultados, pessoas!